terça-feira, 5 de julho de 2011

La Beauté - Charles Baudelaire

La Beauté - Charles Baudelaire

Je suis belle, ô mortels! comme un rêve de pierre,
Et mon sein, où chacun s'est meurtri tour à tour,
Est fait pour inspirer au poète un amour
Eternel et muet ainsi que la matière.

Je trône dans l'azur comme un sphinx incompris;
J'unis un coeur de neige à la blancheur des cygnes;
Je hais le mouvement qui déplace les lignes,
Et jamais je ne pleure et jamais je ne ris.

Les poètes, devant mes grandes attitudes,
Que j'ai l'air d'emprunter aux plus fiers monuments,
Consumeront leurs jours en d'austères études;

Car j'ai, pour fasciner ces dociles amants,
De purs miroirs qui font toutes choses plus belles:
Mes yeux, mes larges yeux aux clartés éternelles!



A Beleza – Charles Baudelaire

Como um sonho de pedra, oh mortais! Sou formosa,
E meu seio, onde todo homem sofre sua dor,
É feito p’ra inspirar no poeta um amor
Assim como a matéria, eterna e silenciosa.

Reino no azul como uma esfinge incompreendida;
Branco como o cisne é meu coração de neve;
Odeio o movimento e a sua linha breve,
Nunca chorei nem nunca ri em toda a vida.

Os poetas, ao ver minhas grandes atitudes,
Que imprimo aos colossais, perfeitos, monumentos,
Consumirão seus dias aos tomos mais inrudes;

Tenho para fascinar do amante os momentos,
Espelhos que farão mais bela a realidade:
Os olhos olharão à eterna claridade!

Trad: Raphael Soares



Primeira tentativa de tradução poética usando a língua francesa. E essa é uma tradução criticável por vários aspéctos: 1º o primeiro e quarto versos estão idênticos aos respectivos versos da tradução de Ignácio de Souza Moitta, apesar de ter pensado em usar originalmente [...]bonita/[...]que eterna e muda fica. 2º o sétimo verso lembra muito a tradução de Junqueira e Haddad (que são idênticas nesse verso). 3º o oitavo verso não é um alexandrino, mas um dodecassílabo romântico (acentos na 4ª, 8ª e 12ª vogas, sem censura). 4º poeticamente é uma tradução meio fraca, mas ao menos acho que o léxico e estilo estão meio-baudelairianos.

Para fazer essa tradução, também consultei 4 traduções brasileiras (Almeida, Haddad, Moitta e Junqueira), além de 5 ingesas (Kline, Aggeler, Campbell, Nilan e Shanks).

Nenhum comentário:

Postar um comentário