domingo, 10 de agosto de 2014

Robert Browning - Fears and Scruples

Fears and Scruples - Robert Browning

Here's my case. Of old I used to love him,
  This same unseen friend, before I knew:
Dream there was none like him, none above him, -
  Wake to hope and trust my dream was true.

Loved I not his letters full of beauty?
  Not his actions famous far and wide?
Absent, he would know I vowed him duty;
  Present, he would find me at his side.

Pleasant fancy! for I had but letters,
  Only knew of actions by hearsay:
He himself was busied with my betters;
  What of that? My turn must come some day.

"Some day" proving - no day! Here's the puzzle.
  Passed and passed my turn is. Why complain?
He's so busied! If I could but muzzle
  People's foolish mouths that give me pain!

"Letters?" (hear them!) "You a judge of writing?
  Ask the experts! How they shake the head
O'er these characters, your friend's inditing -
  Call then forgery from A to Z!

"Actions? Where's you certain proof" (they bother)
  "He, of all you find so great and good,
He, he only, claims this, that, the other
  Action - claimed by men, a multitude?"

I can simply wish I might refute you,
  Wish my friend would, - by a word, a wink, -
Bid me stop that foolish mouth, - you brute you!
  He keeps absent, - why, I cannot think.

Never mind! Though foolishness may flout me,
  One thing's sure enough: 't is neither frost,
No, nor fire, shall freeze or burn from out me
  Thanks for truth - though falsehood, gained - though lost.

All my days, I'll go the softlier, sadlier,
  For that dream's sake! How forget the thrill
Through and through me as I thought "The gladlier
  Lives my friend because I love him still!"

Ah, but there's a menace some one utters!
  "What and if you friend at home play tricks?
Peep at hide-and-seek behind the shutters?
  Mean your eyes should pierce through solid bricks?

"What and if he, frowning, wake you, dreamy?
  Lay on you the blame that bricks - conceal?
Say 'At least I saw who did not see me,
  Does see now, and presently shall feel'?

"Why, that makes your friend a monster!" say you:
  "Had his house no window? At first nod,
Whould you not have hailed him?" Hush, I pray you!
  What if this friend happened to be - God?




Temores e Escrúpulos - Robert Browning

Eis o meu caso. Velho eu tive de amá-lo,
  O mesmo amigo oculto, de outrora, imortal:
Sonhava-o sem igual, ninguém a superá-lo, –
  Acordava crendo que meu sonho era real.

Não amei suas cartas cheias de beleza?
  Nem seus famosos atos, por mim, foram amados?
Ausente, saberia o dever que votei-lhe;
  Presente, poderia achar-me ao seu lado.

Prazerosa quimera! e eu só com seus escritos,
  Sabia de seus atos só o que me dizia:
Ele próprio se ocupava com meus pedidos;
  Qual deles? De ao meu lado vir algum dia.

“Algum dia” era nenhum! Esse é o dilema.
  E o tempo foi passando. Por que me opor?
Ele era ocupado! Se eu pudesse apenas
  Calar as tolas bocas que me causavam dor!

“Cartas?” (ouça) “Acaso julgas escrituras?
  Pergunte a especialistas, e eles irão ler
Sobre esses caracteres, e essas feituras –
  Chamá-los-iam forjados de A a Z!

“Ações? Onde é que estão as provas” (prosseguiam)
  “De tudo o que vês nele de grande e bom são
Ele, ele somente, que diz isso, que diriam
  Outros de seus atos – ditos pela multidão?”

Queria só poder dizer “eu vos refuto!”,
  Que meu amigo dissesse – uma palavra apenas –
Para calar as tolas bocas – vós, seus brutos!
 Porque não sei – mas ele ainda se ausenta.

Que importa! Embora essa tolice me provoque,
  Uma coisa é certa: nenhum gelo tremendo
Ou brasa queimará ou congelará o que
  É vero – a falsidade vencendo – ou perdendo.

Todos os meus dias irei, mais manso e triste,
  Em prol do sonho! Como pensar que é engano
O sentimento que trespassa, e penso “Existe
  Alegria em meu amigo pois ainda o amo!”

Mas isso é uma ameaça aos desqualificados!
  “Acaso o teu amigo vai brincar contigo?
Pira-se-esconde atrás das portas dos sobrados?
  Teus olhos podem trespassar sólido abrigo?

“Acaso ele, zangado, te acordará, sonhando?
  Te põe a odiar tais coisas – ocultação?
Diz 'ao menos vejo quem não está me enxergando
  Irão me ver agora e em breve sentirão
'?

“Porque fazer de teu amigo um monstro!” falas:
  “Tal casa não tem qualquer janela? Aos teus
Acenos não pode responder?” pois te calas!
  E se esse amigo por acaso fosse – Deus?

Trad: Raphael Soares

Nenhum comentário:

Postar um comentário